Fibromialgia

Fibromialgia

O que é Fibromialgia? 

 

A fibromialgia é  uma condição reumatológica caracterizada por dor generalizada e redução do limiar de dor. Os sintomas incluem ainda fadiga, depressão, ansiedade, distúrbios do sono,
dor de cabeça, enxaqueca, variações no funcionamento intestinal e  dor abdominal difusa.

Qual a causa?

O principal fator de desenvolvimento da fibromialgia é a amplificação da sensibilidade dolorosa pelo sistema nervoso central. Isso ocorre devido a modificações observadas nos mecanismos envolvidos no processamento da dor a nível cerebral. Entretanto, o que causa essas alterações permanece obscuro. Foram identificados até o momento alguns fatores de risco que atuam como gatilhos para o desenvolvimento desse quadro.

Os agentes que contribuem como fatores de risco para o desenvolvimento de um quadro doloroso crônico e ou de fibromialgia, podem ser:

  • natureza psicológica: perda de um familiar querido, envolvimento em um acidente automotivo,hospitalização prolongada,
  •  natureza infecciosa : exposição a certos tipos de infecção, por exemplo, a doença de Lyme e a mononucleose;
  • natureza traumática: procedimentos cirúrgicos e acidentes com trauma físico.

A predisposição genética é um fator bem estabelecido na fibromialgia. Parentes de primeiro grau de pacientes com fibromialgia apresentam um risco oito vezes maior de desenvolvê-la.

 

Diagnóstico

 

Em 1990 o Colégio Americano de Reumatologia (ACR) desenvolveu os critérios para a classificação da fibromialgia. A combinação de dor difusa, com pelo menos três meses de duração associada à presença de pelo menos 11 de 18 pontos dolorosos previamente especificados, eram indicativos de fibromialgia.

Imagem relacionada

Critério diagnóstico de 1990 – Presença de dor em pelo menos 11 dos 18 tender points, à palpação manual aplicando-se uma força de aproximadamente 4 kg. Para se considerar um tender point como “positivo”, o paciente deve declarar que a palpação tenha sido dolorosa.

 

Entre 2010 e 2011 novos critérios do ACR para a fibromialgia são propostos, levando em consideração outros sintomas além da dor difusa.

Para isso são utilizados dois questionários. O índice de dor difusa e a escala de gravidade (clique nos links para responder aos questionários).

Utilizando esse novo critério, o paciente passa a preencher completamente o diagnóstico de fibromialgia caso apresente um índice de dor difusa ≥7/19 e uma escala de gravidade ≥5, ou índice de dor difusa entre 3–6 e escala de gravidade ≥9. Os sintomas devem estar estáveis e presentes por pelo menos três meses e não deve haver outra condição clínica que pudesse explicar essa sintomatologia.

NOTA: É fundamental a correlação clínica com os resultados obtidos nos questionários. As pontuações obtidas indicam fortemente a possibilidade de o paciente ter fibromialgia. (consulte seu médico) 

Tratamento

Três aspectos devem ser levados em conta no tratamento da fibromialgia: 

1. Tratamentos ativos como exercícios, terapias cognitivas e comportamentais e outras terapias ativas são as melhores recomendações para dor crônica. 

2. Terapias passivas como terapia manual, correntes elétricas, termoterapia e medicações são adjuvantes na dor crônica, complementam o tratamento. 

3. Na dor crônica, o foco é no ganho de função, também conhecida como restauração funcional. 

Informação e Educação 

É o primeiro passo no tratamento da fibromialgia. O paciente deve conhecer a natureza da sua doença, dos fatores que podem melhorá-la ou piorá-la. O tratamento não depende única e exclusivamente de medicamentos, e necessita da participação ativa do paciente, motivo pelo qual entender a doença é muito importante.

 Atividades Físicas 

A atividade física é certamente uma das modalidades terapêuticas mais eficazes para o tratamento da fibromialgia.  Vários trabalhos demonstram uma melhora global e do quadro doloroso ao longo do tempo. 

A prática deve ser bem dosada  para não aumentar a sensação de cansaço, seu início deve ser leve e a sua “intensidade” aumentada gradativamente. 

Atividades aeróbicas e de baixo impacto, como natação, caminhada ou hidroginástica, são as mais recomendadas. Em geral, uma caminhada, em ritmo normal, durante 30 minutos todos os dias proporciona efeitos terapêuticos positivos.

Resultado de imagem para exercicios aerobicos

Atividades aquáticas são muito indicadas para paciente com fibromialgia.

 A atividade física tem um efeito analgésico e  antidepressivo por estimular a liberação de endorfinas e por proporcionar uma sensação de bem-estar global e de autocontrole. Estudos recentes têm demonstrado que a atividade física melhora a ativação de áreas cerebrais relacionadas à regulação da dor

Acupuntura

A acupuntura têm resultados conflitantes, alguns pacientes podem se beneficiar dessa modalidade terapêutica para alívio da dor.

Osteopatia

A osteopatia consegue reduzir os sintomas próprios desta doença, fazendo com  que o paciente recupere a energia para ter uma vida ativa, através do restabelecimento equilíbrio estrutural e funcional.

Desenvolvimento Emocional

O desenvolvimento da inteligência emocional, contribui para melhoria dos sintomas pois consegue contribuir na mudanças de seus hábitos,e no reconhecimento de emoções que podem agir como gatilho o que ajuda no controle dos sintomas, e dá ânimo ao paciente para prosseguir no tratamento. 

Embora hoje em dia a fibromialgia não tenha cura ela pode ser controlada, proporcionando ao paciente uma boa qualidade de vida e funcionalidade. Para isso o trabalho de uma equipe multidisciplinar coordenada é fundamental. 

Thiago Rodriguez
CREFITO 3/125946 

institutocurarte

Posted by institutocurarte