A OSTEOPATIA NA SAÚDE DA MULHER

A OSTEOPATIA NA SAÚDE DA MULHER

OS BENEFÍCIOS DA OSTEOPATIA NA SAÚDE DA MULHER

O Tratamento osteopático pode ser um grande aliado na saúde da mulher. Segundo estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Centro de Pesquisa em Saúde Reprodutiva de Campinas (Cemicamp) as Brasileiras são as que mais sofrem com a TPM .

“As mulheres brasileiras sofrem mais de tensão pré-menstrual (TPM) do que as europeias e as norte-americanas, diz o estudo inédito. Na pesquisa realizada com 860 mulheres, 80% disseram que têm ou já tiveram TPM.”

Fonte: Último Segundo – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/brasileiras-sao-as-que-mais-sofrem-com-a-tpm/n1237683991779.html

Dentro desta visão global, a osteopatia ginecológica cuida da saúde da mulher e seu organismo, atendendo às possíveis disfunções geradas no nível visceral, estrutural, neurovegetativo e hormonal. Melhorando a funcionalidade e o equilíbrio entre elas.

Além de ajudar na melhora dos sintomas no período menstrual, existem outras áreas de atuação para a Osteopatia ginecológica:

Desordem do ciclo menstrual: menstruações dolorosas (dismenorreia), ciclos irregulares, enxaquecas, dores de cabeça, dispareunia (dor nas relações sexuais), lombalgia, distúrbios intestinais, congestão pélvica, etc.

Preparação  pré e pós-parto: Preparação para as várias mudanças no corpo durante a gravidez , evitando patologias que levam à dor e possíveis complicações no momento do parto.

Problemas de infertilidade: adesões, cicatrizes, disfunções do útero, ovários e trompas de Falópio.

A osteopatia ginecológica não representa uma terapia invasiva. O objetivo é normalizar a estrutura, a fisiologia e o funcionamento do metabolismo feminino.

É válido ressaltar que o tratamento com Osteopata não dispensa os cuidados e acompanhamento do médico ginecologista. Cada caso é analisado individualmente, e é de fundamental importância a realização de exames periódicos.

Thiago Rodriguez

Crefito: 125946

Posted by Instituto Curarte in Sem categoria, 0 comments
Ciatalgia

Ciatalgia

Nervo Ciático

O nervo ciático é o maior nervo do corpo, também conhecido como nervo isquiático. Ele começa na região inferior da coluna, passa pelo  glúteo  e desce pela parte posterior da coxa até a altura do joelho, onde se divide duas partes.

Por ser muito calibroso e ter muitas origens, a ocorrência de compressões  é muito comum.

Ele controla as articulações do quadril, joelho e tornozelo, e também os músculos posteriores da coxa e  da perna.  Além disso, têm a função de conduzir as sensações das pernas.

Sintomas da Ciatalgia

A compressão do nervo, geralmente, causa inflamação e edema, provocando dor em seu trajeto, perda da força  e de sensibilidade.

No caso do  ciático, o sintoma mais comum é  dor lombar que irradia para o glúteo, e posterior da coxa. Podendo chegar na região  lateral da perna e do pé.

A intensidade da dor varia muito de caso a caso. Ela pode ser leve, causando apenas desconforto ou queimação ocasional. Em casos  graves, a dor pode ser excruciante, impedindo o paciente de ficar em pé. Além disso, é comum  haver sensação de choque elétrico pelo trajeto do nervo.

A ciatalgia pode piorar eventualmente após esforço, tosse ou espirro. Ficar sentado por longos períodos costuma igualmente agravar os sintomas da ciatalgia. Além da dor, a compressão do nervo ciático também provoca dormência, formigamento e redução da força muscular na perna.

Causas da Ciatalgia

Muitas podem ser as causas da dor ciática, as mais comuns são relacionadas a compressões das raízes do nervo na região coluna vertebral causadas por  hérnias de disco, osteófitos (mais conhecidos como bicos de papagaio) nas vértebras lombares. Além disso, desgastes naturais  fazem o espaço entre as vértebras diminuir, diminuindo assim o espaço que a raiz nervosa ocupa.

Outra causa de ciatalgia é a síndrome do Piriforme. Este músculo localizado na região da nádega pode comprimir o nervo ciático por encurtamento ou por espasmo gerando sintomas igualmente aos causados pela compressão no nível da coluna lombar.

Por isso a importância da avaliação detalhada para  tratar a causa correta da ciatalgia.

Tratamento da Ciatalgia

O tratamento osteopático da ciatalgia visa, portanto, harmonizar os movimentos da coluna vertebral, da articulação sacro-ilíaca e quadril, bem como dos músculos envolvidos com a dor.

Cabe também ao osteopata investigar outras hipóteses a fim de afastar  causas como disfunções viscerais do intestino e de útero no caso das mulheres que podem ser origem de ciatalgia.

 

Thiago M. Rodriguez
CREFITO 3/125946

Posted by Instituto Curarte in Sem categoria, 0 comments
Estiramento Muscular no Inverno

Estiramento Muscular no Inverno

No frio, o risco de ter um estiramento muscular é 30% maior do que no verão. Isso ocorre porque os músculos se tornam menos elásticos devido as baixas temperaturas. O perigo é ainda a maior para os “atletas de fim de semana”, que não apresentam bom preparo físico, resistência muscular e flexibilidade.

Quando o corpo está em repouso, o fluxo de sangue para os músculos é baixo, entre 15% e 20%. Durante um exercício, porém, ele pode atingir índices de 70% a 90%. Um músculo só consegue ter desempenho máximo quando a circulação sanguínea local estiver plenamente ativada. No período mais frio os vasos ficam mais contraídos, o que diminui o fluxo sanguíneo no local.  Por isso, o aquecimento é essencial, pois assim ocorre uma transição progressiva do estado de repouso para o de ação.

Os estiramentos musculares são as lesões mais comuns registradas nos membros inferiores no esporte e resultam em  afastamento  dos treinamentos, dor, limitação funcional e redução do rendimento esportivo. Nos atletas, o estiramento muscular é uma das lesões mais comuns e pode recidivar frequentemente.

Os esportes mais frequentemente envolvidos são o atletismo (clique aqui para ler o texto sobre lesões na corrida), o futebol, em geral todos os esportes que demandam rápida aceleração e desaceleração, como as corridas de velocidade, os saltos, os chutes, as mudanças bruscas de direção e as rotações.

Os músculos mais afetados pelos estiramentos musculares são os posteriores da coxa e os da musculatura da panturrilha (a batata da perna).

Em geral, o tratamento dos estiramentos musculares abrange os seguintes objetivos: o controle da dor e do processo inflamatório, reduzir o espasmo muscular, auxiliar na regeneração e reparação tecidual, recuperar a flexibilidade pregressa, recuperar a função contrátil, restaurar a função normal do músculo, minimizar o risco de novas lesões e preparar o indivíduo para o retorno ao esporte nas condições ideais.

Dicas

Fazer aquecimento antes da prática de exercícios melhora:

  • Mobilidade articular
  • Temperatura corporal e dos tecidos
  • Fluxo sanguíneo para os músculos ativos
  • Frequência cardíaca que prepara o sistema cardiovascular para o trabalho a ser realizado
  • Velocidade da liberação de energia no organismo (velocidade metabólica)
  • Troca de oxigênio na hemoglobina
  • Velocidade dos impulsos nervosos, facilitando os movimentos do corpo
  • Inervação recíproca (permitindo que o músculo relaxe e contraia com mais rapidez e eficiência)
  • Ampliação da capacidade de alongamento do tecido conjuntivo

Além de:

  • Diminuir a tensão muscular
  • Preparar psicologicamente a pessoa para a atividade

Não deixe de aquecer antes de iniciar a atividade física, assim você diminui o risco de lesões.

Thiago Rodriguez
CREFITO 3/125946

Posted by Instituto Curarte in Sem categoria, 0 comments
(DTM|ATM) – Disfunção Temporomandibular

(DTM|ATM) – Disfunção Temporomandibular

Disfunção temporomandibular  – Como aliviar dores e tratar

Você sofre com dores de cabeça frequente, sente estalidos na musculatura da face?

Fique alerta, pois esses sinais podem estar relacionados a Disfunção temporomandibular.

A Disfunção Temporomandibular é um problema relativamente comum,  porém com diagnósticos que podem confundir devido muitos sintomas associados.

A disfunção temporomandibular (DTM) é o funcionamento anormal  da ATM (Articulação Temporomandibular) que pode provocar sintomas dolorosos e inflamatórios refletindo negativamente na vida da pessoa.

A ATM une a mandíbula ao crânio, sendo a articulação mais utilizada de todo o corpo, realizando aproximadamente 2000 movimentos por dia, ao falar, mastigar ou bocejar.

CAUSAS DA DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

As causas mais comuns de disfunção temporomandibular são: Má oclusão dental, alterações posturais da coluna cervical, traumas, causas reumatológicas, chicote cervical (comum em acidentes de carro), hábitos para funcionais (roer unhas, morder objetos, bruxismo, apertar os lábios), e fatores emocionais como ansiedade e depressão.

SINTOMAS

  •  Dor de cabeça (principalmente ao acordar);
  • Cansaço da musculatura mastigatória;
  •  Zumbido no ouvido;
  • Dor cervical;
  • Limitação da abertura da boca;
  • Estalidos ao movimento a mandíbula;
  • Apertamento dentário;
  • Dor na face.

TRATAMENTOS: OSTEOPATIA NO TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

A osteopatia tem como objetivos minimizar a dor, melhorar a amplitude de movimento, melhorar a postura e reduzir o processo inflamatório.

Na grande maioria dos casos consegue-se um alívio quase que imediato da dor. Vale ressaltar que o  tratamento deve ter caráter multidisciplinar, envolvendo além do Osteopata, o Cirurgião buco maxilo e o Especialista emocional.

Cada profissional dentro da sua especialidade pode contribuir para um atendimento global e assertivo na resolução do problema.

Após realizar uma avaliação completa, o Osteopata  realizará o tratamento exclusivamente de forma manual. No tratamento deve-se levar em conta não apenas a ATM, mas também a coluna cervical, os ombros,a coluna dorsal, a posição e movimentos dos olhos, e outras estruturas que possa estar relacionadas a queixa do paciente.

Thiago Rodriguez

Crefito: 125946

Posted by Instituto Curarte in Sem categoria, 0 comments
Existe posição correta para dormir?

Existe posição correta para dormir?

Qual a melhor posição para dormir?

Todos os dias pacientes que sofrem com dores na coluna me questionam sobre qual seria a melhor posição para dormir. Um amigo/paciente me questionou se o uso de um travesseiro para o corpo o ajudaria acordar sem dores na lombar. Pois bem, resolvi responder a questão do meu amigo/paciente de forma pública, por que esta é uma duvida bastante comum.

“Receitas” para dormir corretamente

Em uma pesquisa rápida na internet é fácil encontrar “receitas” de boas posições para dormir. Alguns exemplos:
NOTA: leia até o final do texto!

Lateral


* Na posição de lado, dita como perfeita para o sono; tanto a coluna quanto o quadril permanecem em posição neutra, permitindo um bom alinhamento da coluna. Porém, não adianta apenas ficar deitado do jeito certo, alguns ajustes são necessários. Primeiro, o travesseiro: o ideal é que ele tenha a altura do ombro, para a cabeça não ficar inclinada. Colocar um travesseiro entre os joelhos também é bom, assim eles ficam alinhados ao tronco. A coluna também é um ponto a se ter atenção: tente respeitar as curvas naturais dessa estrutura; manter as pernas levemente flexionadas e o quadril relaxado também são ótimas medidas para não forçar o nervo ciático. Quanto aos braços, nada de colocá-los para cima. Dormir com o braço esticado em cima da cabeça pode fazê-lo acordar com dor no ombro, bursite ou tendinite… Isso é um reflexo de um travesseiro muito baixo. A densidade do colchão é outro ponto importante; um colchão muito mole afunda com o peso do corpo causando uma curvatura lateral excessiva e um colchão duro demais não permite que a coluna molde-se a ele impedindo que uma boa distribuição do peso corporal.

De barriga para cima


* De barriga para cima não é a posição mais indicada, mas também não é de todo ruim para o corpo. O lado bom é que as articulações conseguem relaxar de forma satisfatória, impedindo torções e dores. Porém, a coluna não fica perfeita. Outra questão é a maior chance de problemas como a apneia ou ronco aparecerem em quem se deita nesta posição, pois a língua “cai” para trás, atrapalhando a respiração. Uma das formas de garantir que você durma melhor de barriga para cima é com o travesseiro bem baixinho evitando uma tensão na musculatura cervical. Uma forma de garantir um relaxamento das pernas é colocar um travesseiro embaixo dos joelhos, o que permite que eles fiquem menos estendidos, relaxando os músculos da lombar e das coxas. Já os braços, ao deitar-se de barriga para cima, devem ficar ao longo do corpo, ou com as mãos pousadas levemente sobre o abdômen.

De barriga para baixo


* Se dormir de barriga para cima é aceitável, dormir de bruços é completamente contraindicado! O ponto delicado de dormir de bruços é a região cervical. Ao se deitar de barriga para baixo, você precisa se virar para respirar, rodando a cabeça cerca de noventa graus. Quando você coloca um travesseiro, então, além da rotação, ocorre a hiperextensão da coluna cervical causando dores.

O que é real !!!

Na teoria existe uma posição “correta” para dormir, na prática não.

Durante a noite é comum que nos movimentarmos e inconscientemente adotamos posições nem sempre consideradas corretas. A hipervigilância em manter a posição correta para dormir afeta mais negativamente a qualidade do sono do que a forma como dormirmos, sendo este um fator que efetivamente pode causar dor.
As dores nem sempre estão relacionadas a posição de dormir.
Não existe um manual de instruções sobre como dormir, mas temos um sensor natural para saber quais posições são boas ou ruins para nós. Este sensor é a dor. Portanto a posição correta para dormir é aquela que te trás relaxamento, boa qualidade de sono e um despertar livre de dor.
Fique atento aos sinais do seu corpo, caso alguma posição estiver causando desconforto, tente mudar, e se ainda assim não se sentir confortável, e a dor estiver atrapalhando sua qualidade do sono e de vida, procure auxilio de um profissional.
Thiago Medeiros Rodriguez
CREFITO 3/125946-F
Posted by Instituto Curarte in Sem categoria, 0 comments